Porto Alegre confirma início da vacinação de crianças no dia 19 Vacinação de crianças não será obrigatória e não precisará de prescrição médica

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) começará a imunização de crianças contra a doença. O primeiro público contemplado com a vacina pediátrica da Pfizer serão crianças entre 5 e 11 anos com comorbidades (como diabetes, hipertensão, asma ou meninos e meninas imunossuprimidos) ou com deficiência permanente. A primeira remessa de vacinas deve ser recebida pelo Núcleo de Imunizações da SMS na segunda-feira (17).

A SMS informa que os locais para a imunização serão divulgados na próxima semana, antes do dia 19.

Após as crianças com comorbidades, a vacinação ocorrerá de acordo com a faixa etária, em ordem decrescente e levando em conta o estoque de vacinas. A Prefeitura espera realizar a vacinação de crianças com 11 anos ainda em janeiro.

O esquema vacinal será composto por duas doses da vacina Pfizer destinada ao grupo infantil, com intervalo de oito semanas (56 dias) entre as doses.

O diretor da Vigilância em Saúde (DVS) de Porto Alegre, Fernando Ritter, destaca que a vacinação não é obrigatória, mas consiste em um direito das crianças e das famílias. “A vacina da Pfizer vem sendo utilizada no mundo há dois meses em mais de 40 países, com mais de 8 milhões de doses aplicadas somente nos Estados Unidos, sem registro de eventos adversos importantes. Além disso, o risco de ter complicação com a Covid-19 é muito maior que a chance de algum efeito adverso importante”, afirmou.

Para o gestor, a disponibilização da vacinação para as crianças é garantia de maior segurança à toda comunidade. “As crianças, ainda que geralmente não desenvolvam quadros graves da Covid-19, são vetores da doença, levando o vírus para suas casas ou escola, podendo colocar em risco outras pessoas, mais suscetíveis à infecção, como avós, pais com comorbidades, professores e funcionários de escolas. No Brasil mais de 1,4 mil crianças já perderam a vida pela Covid-19, muito mais que todas as doenças preveníveis por vacinas existentes e disponíveis no calendário vacinal brasileiro”, disse.

Não será necessária prescrição médica. Os pais ou responsáveis devem acompanhar a administração. Caso ausentes, será necessário apresentar autorização por escrito.

Segundo a Prefeitura, a população de crianças entre 5 e 11 anos na Capital é de aproximadamente 120 mil pessoas.

Fonte: Sul21

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *